Diferenças entre 1º e 2º filho...



Este fim de semana viajei com o Lucas para o Beto Carrero. Fiquei boa parte sozinha, o que me deu bastante tempo para pensar na vida... lembrei do Victor (meu primogênito, que ficou em casa com o papi) e tudo o que eu já tinha feito com ele. E me senti uma besta. Explico: quando o Victor nasceu, seguimos a risca TODAS as orientações da pediatra. Ela dizia assim: com trinta dias de vida, já pode frequentar a casa da vovó. Com dois meses, pode ir à parques abertos e pracinhas. Shopping e supermercados, só após os seis meses de vida (por causa do ar condicionado). Leite materno exclusivo até os seis meses. Introduzir suco de frutas em seguida. Sete meses, papinha de frutas. Oito meses, sopa no almoço. Nove meses, sopa no jantar. A parte da alimentação seguirei à risca com o Lucas também, pois sou fã da amamentação.

Mas eis a situação: com menos de três meses de idade (tá, ele completa 3 meses amanhã), o Lucas já foi inúmeras vezes ao mercado, ao shopping, lojas, festas, casa de vó, tia, primos, e ao Beto Carrero. O pobre do Victor foi só aos 4 anos. E descobri que ele não vai ficar doente nem pegar "quebranto" de tanto as pessoas olharem para ele.

Bem que dizem: o segundo filho deveria vir antes do primeiro. O segundo filho não tem estresse, vc já sabe como lidar, como amamentar, o que precisa e o que não precisa.

Por outro lado, penso que o Victor foi nossa cobainha, pois éramos dois patetas (eu e o pai dele) cuidando do pequeno. Tadinho...

Agora fico com esse dilema: penso que o que fiz para um, precisa ser feito para o outro. O Victor dormiu na minha cama até 1 ano e 4 meses. O Lucas com dois meses foi para o quarto dele. Tadinho...

E as fotos? o Victor tem uma para cada suspiro. O Lucas deve ter um décimo disso.

Outro dito popular: vc só sabe o que é ser mãe quando tem dois filhos. Será? Não sei. Só sei que o tempo para mim mesma foi reduzido a quase nada, por isso que tenho momentos de piração: não quero fazer mais nada, nem scrap, nem pintura, nem convite, nem nada. Daí guardo tudo, dalí dois dias pego tudo de novo. E assim a vida segue...

(Lucas chorando)

Outra coisa: mesmo sendo casada, penso que sei o que é ser mãe solteira. (Meu maridinho está no último ano de engenharia civil, portanto, vejo ele durante à noite - quando vejo. Mas sobra o domingo! Eba! bendito/maldito TCC, que me roubou todos os sábados...)

É isso aí. E depois de tanto pensamento empurrando o carrinho pelo parque, imagino que talvez ainda haja espaço na nossa vida para um irmãozinho para o Victor e o Lucas... (que minha mãe não leia isso, pois para ela é uma sandice ter o primeiro filho, loucura ter o segundo e inimaginável ter o terceiro). Mas não importa. Acredito que tudo isso faz parte de um ciclo. E também acho um egoísmo tremendo não me doar a um bebê, quando foi feito isso por mim para que eu estivesse aqui hoje. Passa tão rápido... É a lei da vida... crescei e multiplicai-vos...rs



4 comentários:

niquee_alves disse...

Aiiii que lindo, amo seu blog, você escreve muito bem!! Parabéns mãezona! Beijos, sua sobrinha linda Monique.

Aline Fonseca disse...

O Blog está lindop, Ke! Fico muito feliz que tenha gostado e que sua surpresa esteja sendo mantida! Mês que vem todo mundo se acerta, se Deus quiser! rsrsrsrs

beijosssssssssssssssssssssssssssssssss

Aline Fonseca disse...

Obrigada, Keize!
Ah, eu estou amando a troquinha! Sempre acho o atc do outro mais bonito que os meus! Hahahahahah é uma "emoção" diferente!
Beijosssssssssssssssssssssssssssss

Fabíola disse...

Rsrsrsrsrsrsr o segundo tudo é mais facil rsrsrsr
Adorei seu cantinho!!!!!!!!!
BJS

Postar um comentário